Políticos da treta

Deixe um comentário

Macário Correia, presidente da Câmara de Faro e, até há bem pouco tempo, um fervoroso opositor das portagens na A22 (Via do Infante), veio hoje dizer que as portagens naquela via são inevitáveis e que compreende o ponto de vista do Governo. Bastou o Governo mudar para a sua cor, que a sua opinião mudou totalmente. Então mas ele não deveria, acima de tudo, velar pelos interesses dos habitantes do seu município?
É por estas situações que a política em Portugal é uma merda e isto não anda para a frente. As medidas não são tomadas, defendidas ou criticadas por serem boas ou más mas apenas por serem do partido A ou B. Enquanto isto for assim, não vamos a lado nenhum. Mas olhando para os resultados das últimas eleições, é isto que a maioria das pessoas quer…

Anúncios

Terrorismo jornalístico

Deixe um comentário

Só porque ontem foram detidas 3 pessoas no Algarve com POSSÍVEIS ligações ao IRA, já há um perito que diz que Portugal se está a tornar apetecível para os terroristas devido à sua localização. Ora, Portugal sempre esteve aqui… se a localização não é nova, porque é que só agora é que é apetecível. Depois, os terroristas, e apesar de serem terroristas, não atacam quem lhes apetece e só porque lhes apetece. Quer dizer, às vezes até é assim mas é sempre a lutar contra alguma coisa. E eu não vejo onde é que Portugal pode ter inimigos terroristas que queiram reivindicar alguma coisa. Mas isso sou eu a pensar…

Uma dúvida…

1 Comentário

O que é uma “distribuição justa dos sacrifícios“? É aquela onde os políticos fazem o que bem querem com o nosso dinheiro, incluindo metê-lo no próprio bolso através de subsídios e apoios e depois quem recebe um misero ordenado pelo suor do seu trabalho é que paga mais impostos?

Quem não tem mais nada que fazer…

Deixe um comentário

Caros senhores jornalistas, será que não têm mais nada que fazer do que fazer actualizações do estado de saúde de uma pessoa internada no hospital? Desde sábado que temos sido bombardeados com notícias sobre o Angélico Vieira. Eu nada tenho contra o rapaz, senão condenar o facto de conduzir a alta velocidade e sem cinto de segurança. Mas é preciso toda esta palhaçada? E depois inventa daqui, inventa dali, o estado de saúde parece que muda como vento, morto cerebral, afinal abre os olhos e reage, morto cerebral novamente.

Não sendo eu médico, é óbvio que traumatismo com perda de massa encefálica e várias fracturas cervicais, este terá sido o melhor desfecho. Sim, porque o Angélico que todos conheciam morreu no sábado.

Não posso deixar de condenar toda a histeria que se gerou com miudas a chorar à porta do hospital. A culpa não será só delas, obviamente, mas dos pais que as deixam prestar a tais figuras. Efeitos práticos nos jovens? Nenhum! Mais cuidado na estrada? Claro que não. O próprio Angélico já tinha perdido um amigo num acidente à poucos anos. De nada lhe valeu.

Não posso deixar de criticar igualmente a decisão da família de não permitir a doação de órgão. Com o filho morto (e não esquecer que matou outro amigo) o mínimo que poderiam fazer era ajudar a salvar outras vidas.

A encher os bolsos

2 comentários

Continuo sem perceber porque é que em Portugal, quando se sabe que alguma coisa de ilegal acontece, as coisas morrem por ali. Não há investigações, não há culpados, não há reposição das verbas desviadas. O crime compensa.
Segundo um relatório da Inspecção Geral de Finanças, no Ministério das Finanças não há qualquer controlo sobre o que se paga e a quem se paga, pagando a quem deve e a quem não deve, a quem merece e a quem não merece. Em que é que isto vai dar? Aposto que em nada!
Ainda segundo o mesmo relatório, um terço dos bolseiros que receberam ajudas do Estado para tirar um doutoramento, nunca provou que fez o mesmo. No entanto, o dinheirinho lá foi parar aos bolsos. Porque é que as entidades responsáveis por estes financiamentos nunca pediram prova da conclusão do doutoramento? Além da culpa de quem recebeu dinheiro indevidamente, quem permitiu que tal acontecesse e nada fizesse para que esse dinheiro fosse devolvido ao Estado?
Porque é que estas situações continuam a passar impunes, o dinheiro a desaparecer dos cofres do Estado e depois eu, que nada tenho a ver com o assunto, é que tenho de pagar por isso, vendo o IRS e o IVA a aumentar?

 

EDIT: 2011-06-23  19:12:

Mais um caso, agora no exército.

A origem da crise

1 Comentário

Não se aplica só a Espanha…

Justiça: Crónica de uma morte anunciada

1 Comentário

Expliquem-me lá como é que pessoas apanhadas a copiar têm nota 10 só porque não havia data para repetir o exame. Mas repetir o que? Quem é apanhado a copiar, tem zero e terá oportunidade para a próxima vez de mostrar o que vale. Não há cá notas administrativas nem repetições. E ainda há quem ache bem!

Ah.. Mas esperem, estamos a falar da justiça portuguesa, aquela que cada vez mais dá razão aos criminosos e se está a marimbar para a verdadeira Justiça. Assim sendo, a decisão é perfeitamente normal. E está a formar devidamente os futuros juízes para o que eles vão fazer: enterrar ainda mais a Justiça.

Older Entries