Democracia à medida

Deixe um comentário

Portugal ainda é um estado democrático mas, parece que a maioria das pessoas não sabe o que é uma Democracia nem o que é a Liberdade.

Caros portugueses, a mesma Democracia e a mesma Liberdade que vos dão todo o direito de protestar e de fazer greve (*), dão o direito às outras pessoas de não o fazer. E, por mais válidas ou não que sejam as vossas reinvidicações, as outras pessoas também as suas razões para não aderir ao vosso protesto.

Dito isto, acho inadmissível que:

Porta-voz dos camionistas diz que “hoje não vai haver tolerância”

Apedrejamento de camiões na A1 provocou ferimentos numa criança

Camiões apedrejados na A1

Todos estes casos são casos de ameças ou concretizações de atentados contra a integridade física de outras pessoas, que têm o direito de circular na estrada.

(*) Não sei até que ponto esse direito à greve existe ou é legal, uma vez que isto é uma luta dos patrões e não dos trabalhadores.

Anúncios

À rasca vs À mama

2 comentários

Não ponho em causa a manifestação de sábado. Bem pelo contrário, aplaudo claramente o facto de que alguém tenha conseguido mobilizar centenas de milhares de pessoas a lutar contra a precariedade e a exploração no trabalho.
Sim, porque há muitas pessoas que são exploradas nos seus trabalhos, com a concordância das leis do estado e que andam eternamente a contratos a mini prazo, em trabalhos temporários que não o são e a receber o mínimo dos mínimos. E depois há ainda a pressão psicológica, a juntar à incerteza de ter trabalho na semana seguinte. Claro que no final do ano, as empresas para quem prestam serviços têm lucros astronómicos.
Para estes, força! Vamos lutar pelos direitos de todos nós, os trabalhadores que querem poder trabalhar sem a incerteza de não ter o contrato renovado na quinzena seguinte.

Agora o que eu critico é quem andou nas manifs a pedir emprego e a pedir a demissão do Governo. Isto é simplesmente aproveitamento político da situação. Em primeiro lugar, não pode, o Governo, arranjar emprego para toda a gente. Em segundo lugar, o Governo, bem ou mal, está lá eleito pela maioria dos portugueses. E, em democracia, as coisas funcionam assim. Podemos, e devemos criticar e protestar contra medidas específicas que sejam tomadas pelo Governo e que achamos que não sejam as correctas. Não podemos, nem temos sequer esse direito, de pedir a demissão de um Governo eleito democraticamente pela maioria, goste-se ou não dele.

E vamos agora ver o que vai dar isto

A luta é alegria

Deixe um comentário

Começo desde já por avisar que não gosto dos Homens da Luta. Não gosto do tipo de humor que eles fazem. No entanto o que se passou no sábado depois de terem sido anunciados como vencedores do Festival da Canção e o que se tem passado depois disso é vergonhoso. Meus senhores, eles são os legítimos vencedores do Festival da Canção porque tiveram mais votos e têm todo o direito de representar Portugal no Festival da Eurovisão. Por isso, os apupos que se ouviram na hora e petições e outras indignações contra a música ou contra os Homens da Luta são apupos e indignações contra a democracia.