Não ponho em causa a manifestação de sábado. Bem pelo contrário, aplaudo claramente o facto de que alguém tenha conseguido mobilizar centenas de milhares de pessoas a lutar contra a precariedade e a exploração no trabalho.
Sim, porque há muitas pessoas que são exploradas nos seus trabalhos, com a concordância das leis do estado e que andam eternamente a contratos a mini prazo, em trabalhos temporários que não o são e a receber o mínimo dos mínimos. E depois há ainda a pressão psicológica, a juntar à incerteza de ter trabalho na semana seguinte. Claro que no final do ano, as empresas para quem prestam serviços têm lucros astronómicos.
Para estes, força! Vamos lutar pelos direitos de todos nós, os trabalhadores que querem poder trabalhar sem a incerteza de não ter o contrato renovado na quinzena seguinte.

Agora o que eu critico é quem andou nas manifs a pedir emprego e a pedir a demissão do Governo. Isto é simplesmente aproveitamento político da situação. Em primeiro lugar, não pode, o Governo, arranjar emprego para toda a gente. Em segundo lugar, o Governo, bem ou mal, está lá eleito pela maioria dos portugueses. E, em democracia, as coisas funcionam assim. Podemos, e devemos criticar e protestar contra medidas específicas que sejam tomadas pelo Governo e que achamos que não sejam as correctas. Não podemos, nem temos sequer esse direito, de pedir a demissão de um Governo eleito democraticamente pela maioria, goste-se ou não dele.

E vamos agora ver o que vai dar isto

Anúncios